Segunda, 25 de Outubro de 2021 14:50
(64) 99229-6034
Saúde Saúde

Crer realiza cirurgia inédita

Procedimento bem-sucedido de de implantação de prótese osteoancorada na unidade do Governo de Goiás vai mudar vida da menina de 10 anos que nasceu com má-formação na orelha direita

16/08/2021 07h47
123
Por: Cristiano Souza Fonte: Portal Goiás
Foto: Mayara Varalho/Agir
Foto: Mayara Varalho/Agir

A equipe do Centro Estadual de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo (Crer) realizou, no fim de julho, uma cirurgia de implantação de prótese osteoancorada, prótese auditiva de vibração óssea. O procedimento, inédito na instituição, foi realizado com sucesso. e a paciente continuará em acompanhamento pelos profissionais do hospital para realizar a adaptação ao aparelho auditivo.

A protagonista dessa história é a pequena Mariana Venâncio de Castro, de 10 anos, nascida em Campos Belos, no Norte Goiano. Ela nasceu com má-formação na orelhinha do lado direito, e desde os 3 meses de idade, sua mãe, Eva de Castro Serrano, busca tratamento para a condição da filha. Eva diz que não sabia do grau de surdez de Mariana e, após consultas médicas, descobriu que a menina tinha perda parcial da audição e que o direcionamento dos sons estava prejudicado.

Eva diz que sempre trabalhou para que Mariana estivesse preparada para os desafios na escola diante do preconceito que possivelmente enfrentaria. Ela iniciou a alfabetização de Mariana em casa, para que, quando iniciasse a vida escolar, a menina não ficasse inibida diante dos colegas, por ter dificuldade auditiva.

A clínica de reabilitação auditiva do Crer realizou testes com três marcas de aparelhos auditivos,  para verificar com qual Mariana se adaptaria melhor. A criança seguirá sob os cuidados médicos e multiprofissionais na unidade do Governo de Goiás e tem previsão de retorno para acompanhamento e adaptação ao aparelho auditivo nos próximos meses.

"O dia que eu vim fazer o teste foi um dos dias de mais emoção na minha vida, e não podia deixar transparecer, para que ela não se assustasse. A Mariana colocou o aparelho e eu fiquei do ladinho dela, falando baixinho, e ela ficou assim: 'mamãe, tem que falar baixo. Cê tá falando muito alto'. Aí eu vi que o aparelho estava funcionando bem, porque ela ouvia tudo baixinho”, relata. “Eu não tenho palavras para o Crer. Eu sempre fui muito bem atendida e eu só tenho que agradecer", comemora Eva.

Sobre o procedimento, a médica otorrinolaringologista Pauliana Lamounier e Silva Duarte explicou que essa é uma cirurgia realizada pelo Sistema Único de Saúde aos pacientes que não têm condições de utilizar aparelho auditivo externo. "Devido a uma má-formação de orelha, a paciente não possui o pavilhão auditivo externo, que é uma estrutura da orelha externa responsável pela condução do som. E como não tinha condições de usar aparelho auditivo desse lado, há a recomendação de prótese inserida cirurgicamente”, explica. 

“Nós implantamos um pino no crânio e, após 30 dias, será acoplada uma prótese, um processador de som. O som vai ser captado por esse processador que, por vibração através deste pino instalado cirurgicamente, vai ser transmitido até o ouvido interno. Assim, a paciente ouve normalmente desse lado. Isto é, desde que ela tenha a parte interna do ouvido normal", acrescenta a médica Pauliana Duarte.

Matriz de cuidado

O diretor técnico de reabilitação do Crer, Ciro Bruno Silveira Costa, explica que a unidade hospitalar é um centro de reabilitação de alta complexidade referenciado pelo Ministério da Saúde e obtém uma estrutura para cuidar de quaisquer perdas auditivas. "O Crer empreendeu iniciativas que resultaram no Serviço de Otorrinolaringologia e Reabilitação Auditiva que temos hoje, completo e de altíssima tecnologia. Este avanço simboliza o papel que a gestão pública de qualidade tem em entregar saúde de qualidade para a população", explica o diretor.

"O Crer oferece todo o tratamento que o paciente precisa na área de otorrinolaringologia e na subespecialidade de otologia (cirurgia de ouvido). Nós temos aqui no hospital o que há de mais inovador em termos de reabilitação auditiva. Nós oferecemos o aparelho auditivo, nós reabilitamos com essas próteses de vibração, nós realizamos o implante coclear para bebês que nascem totalmente surdos. Então, poder oferecer reabilitação auditiva para crianças em idade escolar, como a Mariana, para que elas possam crescer e se desenvolver como as demais crianças, nos deixa muito felizes", diz ainda a médica Pauliana.

Ela ressalta que a reabilitação auditiva faz diferença na vida da pessoa surda e ensurdecida. E afirma que é importante fazer o teste da orelhinha (exame de emissões otoacústicas evocadas), que é um exame realizado em recém-nascidos, no qual é possível identificar alguma alteração auditiva na criança. Pauliana ressalta que, a partir desse diagnóstico, a criança deve ser referenciada para um centro especializado, como o Crer, para que se realizem as intervenções necessárias. 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
-
Atualizado às 21h00 - Fonte: Climatempo
°

Mín. ° Máx. °

° Sensação
km/h Vento
% Umidade do ar
% (mm) Chance de chuva
Amanhã (26/10)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. ° Máx. °

Quarta (27/10)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. ° Máx. °

Anúncio
Anúncio